fbpx

Ronaldinho tem sua própria criptomoeda. Aprenda a criar uma moeda virtual

Redação DuMoney 7 de agosto de 2018 atualizado às 14:37

Ex-jogador é o primeiro famoso a criar uma moeda virtual, mas estratégia pode ser feita por qualquer pessoa. Preparamos um passo a passo para você aprender a criar a sua criptomoeda

Ronaldinho numa criptomoeda

Ex-craque dos gramados agora tem a sua própria moeda virtual / Reprodução

 

Craque nos gramados, Ronaldinho Gaúcho agora tenta ganhar espaço em outra área: o mundo das moedas virtuais. A partir da próxima quinta-feira, dia 16 de agosto, estará disponível no mercado a Ronaldinho Soccer Coin (RSC), criptomoeda que leva o nome do ex-jogador, fruto de uma parceria com a startup World Soccer Coin.

Primeiro astro do futebol a ter uma moeda para chamar de sua, Ronaldinho faz parte de um plano que tem por objetivo desenvolver o esporte mais popular do mundo no mercado digital, com a Academia Ronaldinho Gaúcho, em países do sudeste asiático.

LEIA MAIS: Quatro aplicações financeiras para ganhar dinheiro com dólar

 

”Eu quero trazer um sorriso para o maior número de pessoas possível através deste projeto”, declarou o jogador, em mensagem publicada no site oficial da iniciativa” –  declarou Ronaldinho, no site oficial do projeto.

 

ASSISTA O VÍDEO DE APRESENTAÇÃO DA CAMPANHA

 

CANTOR PODE SER O PRÓXIMO

E se no mundo das moedas virtuais Ronaldinho foi primeiro famoso, um astro dos palcos pode ser o próximo.  Conhecido pelo sucesso Lonely, o cantor senegalês Akon está se preparando para criar uma nova cidade e, consequentemente, a própria moeda. O lugar se chamaria Akon Crypto City, em que os moradores usariam AKoin (um combinado do nome do cantor com a palavra coin, moeda em inglês) para comprar e consumir produtos.

A empreitada está sendo construída em uma área de 8 mil quilômetros quadrados, doada pelo presidente senegalês Macky Sall, e, se for concluída, ficaria próxima ao um aeroporto internacional, que também precisa ser construído.

Se você se interessa pelo assunto, a notícia boa é que qualquer pessoa pode criar uma moeda virtual. O DuMoney preparou um guia para você entrar no mercado. A seguir, veja o passo a passo:

 

1- Use a comunidade para alimentar sua moeda

Se você pensa em começar pela programação, já começou errado. Para Chris Ellis, ativista da Feathercoin, o primeiro passo é encontrar uma comunidade e construir uma moeda para eles, ao invés de esperar que as pessoas simplesmente apareçam.

Ellis integrou um time de entusiastas por criptografia que sentiam que as moedas virtuais estavam muito distantes do público. O grupo se uniu e criou uma moeda nova, a Feathercoin – que atualmente vale R$ 0,31.

Nesse caso, a comunidade que foi capaz de legitimar a moeda. Uma moeda virtual só vale dinheiro se alguém acreditar na sua legitimidade e pagar por ela. Ou seja, escolha sua comunidade. Quem vai pagar pela sua moeda?

2- Codifique a longo prazo

A maioria dos desenvolvedores de moedas virtuais dizem que a programação é a parte mais rápida do processo. Isso porque quase todas usam o código da Bitcoin e da Litecoin, que é aberto e está disponível online.

Mas se você quiser colocar códigos próprios na sua moeda, pode demorar bastante, mas se copiar o código da Bitcoin e da Litecoin, leva cerca de 30 minutos para criar a sua criptomoeda.

No entanto, é preciso que o time de desenvolvedores esteja comprometido para corrigir falhas e manter a segurança da moeda. Para Ellis, além disso, você também tem que garantir que as pessoas saibam que seu dinheiro é seguro. Se não garantir isso, ninguém vai usar sua moeda.

3- Traga mineradores à bordo

Como todo novo negócio, depois de criado, você precisa espalhar a ideia. No caso de um produto as pessoas vão comprá-lo, e, no caso de uma criptomoeda, vão começar a minerá-la. Assim, com alguma sorte, ela pode acabar ganhando valor no mercado. Ellis explica que uma boa forma de começar é construir confiança, expressar sua visão e intenções aos mineradores e fazê-los comprarem (ou minerarem) sua ideia.

4- Convença seus comerciantes

O próximo passo é convencer comerciantes de que esse pedaço de código realmente vale alguma coisa. Além disso, mostrar para o público que há lugares onde a moeda é aceita.

O conselho de Ellis é colocar a boca no mundo. Assim que se sentir confiante, comece a falar sobre a sua moeda para amigos, comerciantes, fóruns da Internet e mídias sociais.

Nesse caso, você vai tentar convencer as pessoas que não conhecem criptomoedas e têm mais medo de perder dinheiro. Mas mostrando as vantagens do negócio você chega lá.

5- Domine o mundo, ou não

O próximo passo da sua moeda virtual é conquistar o mundo. Mas considerando que nenhum tipo de dinheiro conseguiu isso em milhares de anos, é muito difícil que uma moeda virtual o faça.

A dominação do mercado mundial não é o objetivo. Para Ellis, a verdadeira natureza de uma boa moeda virtual é: um dinheiro local para certos bairros, eventos, lojas e grupos de pessoas que estão construídos em volta de uma comunidade de consumidores semelhantes que possam usá-lo de forma fácil, rápida e livre para adquirir bens e serviços de forma segura.

 

Em Investimentos

Recomendadas para você