fbpx

Quando uma startup deixa de ser startup

Redação DuMoney 8 de janeiro de 2019 atualizado às 12:22

O nome startup virou sinônimo de empresas em estágio inicial, mas grandes empresas acabaram se apropriando da palavra, sem serem necessariamente uma startup.

 

mesa de reunião com jovens falando sobre startup

O sonho das startups é deixar de ser um startup? / Schutterstock

 

Startup. É difícil cruzar pelas notícias de tecnologia sem se deparar com essa palavrinha. Ao trazer para o português, o tradutor indica significa começar algo. Mas, a partir dos anos 1990, quando houve a primeira grande “bolha da internet”, o termo começou a caracterizar companhias que estão no início de suas atividades e que buscam explorar atividades inovadoras.

E seja lá qual for os outros motivos, o termo pegou e, hoje, qualquer empresa que inicia um negócio procurando desenvolver um modelo escalável e que seja difícil de copiar, é uma startup. O que ocorre, no entanto, é que algumas empresas, mesmo já faturando bilhões, ainda são chamadas de startup. Facebook, Google, Microsoft foram, um dia, empresas de garagem. Portanto, startups.

LEIA MAIS: 10 coisas que você precisa saber antes de criar uma startup!

Hoje todas elas são impérios de tecnologia que faturam bilhões. Sendo assim, por que ainda não chamadas de startups?

A confusão ocorre justamente porque além se caracterizarem como empresas jovens e com um baita potencial de crescimento, startups também estão associadas aos negócios que inovam constantemente. Ou seja, o Google, teoricamente, não é mais uma startups. Mas, como continua lançando produtos e soluções tecnológicas, se autodenomina uma startup, principalmente, por essa pegada de inovação.

“A definição mais aceita de startup é a do Steve Blank que diz : “Startup é uma organização temporária projetada para buscar por um modelo de negócios escalável e repetível que atua num ambiente de extrema incerteza”. Em teoria quando você acerta um modelo de negócios e consegue escalá-lo e para de inovar e validar novas hipóteses você deixa de ser uma startup”, afirma Rafael Ribeiro, diretor executivo da ABStartups.

Com essa definição, pelo menos é possível, digamos, traçar os pré-requisitos para quem já deixou a vida “startupeira” para trás. Para isso, faça essas três perguntas: a empresa paga as próprias contas?; tem clientes?; está constantemente ampliadas serviços/produtos e é inovadora? Se a resposta é “sim” para todas as questões, é sinal de que a vida de “empresa grande” está mais próxima.

Além desses fatores mais tangíveis, é interessante notar também que as startups trouxeram também uma cultura organizacional bem diferente daquele modelo de empresa tradicional. O que acontece nas empresas  (startups ou ex-startups) do Vale do Silício, na Califórnia, é um exemplo disso. Por lá, é normal que as companhias tenha escritórios moderninhos, com happy hour semanal e sala de games. Isso não motivo para fazer o funcionário se distrair, na verdade, as empresas acreditam que é importante deixar os empregado mais feliz, para que ele se motive mais. 07

É startup? Então nada de postura antiga e ideias ultrapassadas.

 

 

Em Investimentos

Recomendadas para você