fbpx

Usar blockchain pode melhorar a logística da sua empresa. Veja como

Redação DuMoney 18 de outubro de 2018 atualizado às 15:50

A tecnologia de Blockchain já é amplamente usada no setor financeiro, mas ainda é vista com desconfiança por outros setores como o de logística. Veja como essa tecnologia pode melhorar a gestão da cadeia de suprimentos da  sua empresa

 

Blockchain é a tecnologia que consiste em ter acesso a um banco de dados distribuído e descentralizado para o registro de informações que não podem ser modificadas. Como se vê pela explicação técnica, blockchain acaba sendo uma tecnologia complexa,  com diversas possibilidades de aplicação. Mas isso pode fazer a diferença no seu futuro: E ha quem diga que o tema será tão disruptivo quanto a Internet.

A primeira aplicação conhecida foi no mercado financeiro com o surgimento do Bitcoin. Contudo, outros segmentos têm se destacado. Já existem novidades do Blockchain na logística, no mercado de seguros, saúde, entre outros.

Por ser uma novidade, poucas pessoas conhecem e entendem a tecnologia. O mercado ainda está temeroso em aplicar esses sistemas, o que causa resistência das organizações em investir no uso de Blockchain em seus processos.

CASO COCA-COLA

Mas algumas empresas já estão estudando e pesquisando formas de viabilizar a aplicação do mecanismo. Uma delas é a Coca-cola.

Depois da divulgação de um estudo da Organização Internacional do Trabalho, que mostrava que quase 25 milhões de pessoas trabalham sob um regime de trabalho forçado, várias empresas alimentícias e de bebidas sentiram-se pressionadas a lidar com o risco de estarem obtendo açúcar produzido por trabalho escravo.

O que fez a Coca? Em parceria com o Departamento de Estado dos EUA, a empresa, com participação de outras companhias, criou um projeto que usa blockchain para rastrear o uso de trabalho escravo, a fim de garantir que nenhum nível da cadeia de produção seja dependente, direta ou indiretamente, do trabalho forçado.

O novo empreendimento destina-se a criar um registro seguro para trabalhadores e seus contratos usando as capacidades de validação e registro digital da blockchain, segundo informações da Blockchain Trust Accelerator (BTA) – uma organização sem fins lucrativos envolvida no projeto – fornecidas à Reuters.

Embora a tecnologia não possa obrigar as empresas a cumprirem os contratos de trabalho, pode criar uma cadeia de evidências validada que incentivará o cumprimento desses contratos. Disse Scott Busby, vice-secretário assistente do Departamento de Estado dos EUA, em entrevista à Reuters.

“O IMPORTANTE É O COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÃO”

Segundo Marcela Gonçalves, pesquisadora e idealizadora do grupo Blockchain Brasil,  a tecnologia não funciona sozinha, é necessário algum meio automatizado de se registrar os produtos na rede. Como, por exemplo, um código de barras, um identificador por radiofrequência ou até mesmo um identificador químico-biológico, no caso de rastrear uma produção de algodão com o intuito de garantir que de fato é orgânico.

“O Blockchain pode ser utilizado em várias instâncias, tudo depende do enfoque que você vai dar. Pode rastrear um pistão de carro, ou um algodão que vai compor um fio de uma roupa, ou se uma empresa gere seus funcionários de forma correta. Facilita, por exemplo, o trabalho da vigilância sanitária na hora de controlar toda a cadeia de produção de um alimento. O importante é o compartilhamento da informação de toda a cadeia. Não pode se limitar a só uma indústria”, diz.

Na cadeia de suprimentos gerida por Blockchain, os produtos recebem identificadores únicos que permitem que todo seu histórico seja coletado enquanto o produto se movimenta da origem até o consumidor final. Uma vez inserido no Blockchain, esse dado é acessível a todos que estão na rede. Os envolvidos validam as informações em tempo real e caso alguém tente adulterar, alterar ou apagar um registro, todos saberão.

Como todas as ações são visíveis para todos, há uma garantia de que os dados são reais. Sendo uma rede em que vários atores do mercado se conectam, em vez de todo mundo ter que falar com todo mundo individualmente, todos falam com a rede e isso se direciona para o resto do mercado. Isso influencia na velocidade operacional e na qualidade da informação.

 

Em Inovação

Recomendadas para você