fbpx

Startup — O Que é um Investidor Anjo?

Segundo a organização Anjos do Brasil, sete mil investidores anjo têm pelo menos 50 mil reais para investir, e ainda disponibilizam experiência e rede de contatos para as startups

Redação DuMoney 14 de fevereiro de 2019 atualizado às 18:17

Estudantes que fundaram o Buscapé, vendido por U$ 342 mi (foto do site)

Imagine que quatro universitários têm uma ideia, fazem um plano de negócios, mas não possuem capital para dar os primeiros passos de uma empresa milionária. Este grupo consegue um investidor anjo, que acredita no retorno do capital e na mudança que a startup vai implementar no mercado. Esta é, em resumo, a história do site Buscapé. As atividades começaram em 1998 e dez anos depois a empresa foi negociada por 342 milhões de dólares.

Note que, sem o investidor anjo, talvez esta ideia não tivesse passado do papel. Mas o que é um investidor anjo? É uma pessoa física que tem dinheiro e resolve apoiar empresas que estão começando, que tenham potencial de crescimento e rentabilidade, e, por último, que implementem mudanças nos modelos de negócios. “Quem investe como anjo, quer retorno financeiro, sim, mas nunca busca só isso”, comenta Maria Rita Spina, diretora da associação sem fins lucrativos Anjos do Brasil.

A associação define sua missão como: “apoiar startups na fase de crescimento… num trabalho consistente com apoio de conselheiros, parceiros e um time de colaboradores dispostos a fazer acontecer”. Fechou, é isso que pode mover a montanha para muitos empreendedores em começo de carreira: conseguir o capital e mentoria para trilhar o caminho do sucesso. O anjo da guarda do empreendedorismo aplica não só o dinheiro, mas principalmente experiência e rede de contatos para viabilizar o amadurecimento de novas empresas. O trabalho dos anjos é tão importante que a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) fez um estudo em mais de 30 países e identificou que “os investidores anjo tem um papel crítico no sucesso das empresas iniciantes”.

Ao contrário do que se possa imaginar, os anjos não são donos de grandes fortunas. Normalmente o anjo é um empresário ou ex-empresário, ou um executivo que já fez uma carreira de sucesso, acumulando reservas suficientes. Parte do dinheiro (normalmente 5% a 10% do seu patrimônio) este anjo usa para investir em novas empresas, onde sua experiência vai fazer a diferença.

Estima-se que existam quase 5 mil startups no Brasil. Segundo a organização Anjos do Brasil, sete mil investidores anjos têm pelo menos 50 mil reais para investir. Ou seja, está sobrando anjo!

Leia mais: Como ser um empreendedor digital?

Em Empreendedorismo

Recomendadas para você