fbpx

Alex Mandossian: “A economia pode ser impulsionada por empreendedores”

Redação DuMoney 13 de agosto de 2018 atualizado às 14:03

De passagem por São Paulo, o americano Alex Mandossian concedeu entrevista e falou um pouco sobre o ambiente de negócios no Brasil 

 

Alex Mandossian no palco do treinamento

Alex acredita no potencial dos empreendedores brasileiros nos negócios / Ruy Hizatugu

 

O americano Alex Mandossian, de 54 anos, é considerado um dos grandes especialistas em marketing digital do mercado. Mas não é só por esse motivo que ele é conhecido.

Mandossionan se apresenta em eventos para ministrar treinamentos com a credencial de quem já ajudou a gerar mais US$ 400 milhões em negócios para seus alunos e clientes.

Já estiveram em sua ”turma” empresários de peso como Richard Branson, fundador do Grupo Virgin, Robert Kiyosaki, investidor e autor da obra de sucesso ”Pai Rico, Pai Pobre”, e até Mikhail Gorbachev, ex-líder soviético.

LEIA MAIS: Daniel Simons, de ‘O Gorila Invisível’: ‘Há limites na capacidade de atenção’

 

Todos foram ouvir as ideias de Mandossionan, elogiado pela pela sua habilidade única em descomplicar negócios e simplificar estratégias para dobrar receitas.

De passagem por São Paulo, onde ministrou o curso Guerrilla Business Intensive, evento organizado pela empresa Experiência Sucesso, concedeu entrevista falando sobre o que domina: estratégia em negócios.

A seguir, leia a entrevista completa:

 

O Brasil está vivendo uma crise econômica desde 2014. Como é possível apostar em um negócio neste momento?

R: A crise brasileira é uma crise política. Aqui, existe um ambiente de negócios. Claro, é preciso melhorá-lo e fortalecê-lo. Eu digo isso porque uma das formas de superar a crise é fomentar o empreendedorismo.

A saída para crise seria o empreendedorismo?

R: Todo país tem o seu nível de corrupção. Infelizmente, isso é uma realidade. Mas se você tem uma nação de empreendedores, como nos Estados Unidos, você não fica tão vulnerável com decisões políticas ou escândalos de corrupção. O que acho mais triste no Brasil é que que o país tem um potencial não aproveitado.

Qual seria esse potencial?

R: É o primeiro na fonte de recursos naturais, mas, atualmente, é a oitava economia do mundo. Eu acredito que a economia pode ser  impulsionada por empreendedores. Não é necessário ter a ação do governo. Pequenos empreendedores podem criar a sua própria economia. Em um momento de crise, por exemplo é possível usar os caminhos virtuais para fazer negócio com o mundo inteiro. Se os empresários daqui entenderem o potencial disso, eles vão ter muito sucesso.

Qual a principal diferença entre fazer negócios no Brasil e nos Estados Unidos?

R: Conheço bem o mercado brasileiro, e sempre quando estou aqui gosto de perguntar as pessoas se elas vivem em um país de 1° ou 3° mundo. Normalmente, os brasileiros que respondem que moram no 1° mundo não acreditam na própria resposta. E uma das características dessas pessoas é o medo de terem suas ideias para negócios roubadas. Esse tipo de comportamento prejudica o desenvolvimento das empresas. Ideias surgem da cooperação, da troca de ideias. O Vale do Silício, na Califórnia é um exemplo disso. O Brasil, infelizmente, tem os melhores recursos, mas não tem os melhores resultados.

E qual seria uma vantagem brasileira?

R: Os brasileiros se dão bem ao lidar uns com os outros. Isso é um ponto de destaque. Nos Estados Unidos, há públicos mais divididos. Aqui, culturalmente, há menos barreiras.

Se você pudesse destacar algumas ideias para que empreendedores tenham sucesso nos negócios, o que você sugeriria?

R: Primeiro, identifique o seu público-alvo antes de criar a sua mensagem. A maioria dos empreendedores fazem o contrário e ficam em um beco sem saída. Já pensou se você decide exportar carne para uma cidade onde só há vegetarianos? É preciso antecipar desejos, estudar o mercado e ser certeiro na sua estratégia.

Mas como funciona isso na prática?

R: Apostar num mercado de nicho é uma boa saída. Menos competição é melhor para começar um negócio. Se você tem uma academia, por exemplo, que oferece artes marciais apenas para mulheres, pode ser melhor do que uma academia que atende aos homens e as mulheres. Oferecer um produto ou serviço para um nicho faz você se destacar mais. Isso é importante para ter sucesso em um negócio.

Qual é a sensação de ter entre os seus alunos personalidades como ex-líder soviético Mikhail Gorbachev e o empresário Richard Branson, fundador da Virgin.

R: Encaro como algo normal. São pessoas que têm muito mais experiência do que eu em alguns assuntos, mas que se interessaram em ouvir um pouco da minha experiência.

Em Empreendedorismo

Recomendadas para você