fbpx

Dicas Para Começar uma Carteira de Ações

Para ter sucesso nos investimentos é preciso ter informação. A partir daí se estabelece um aprendizado e é possível tomar decisões sobre finanças.

Redação DuMoney 7 de maio de 2019 atualizado às 17:17

Ninguém aprendeu Finanças Pessoais na escola, portanto, procure cursos e leituras. (foto Pixabay)

 

É importante pensar em investimentos, seja para realizar sonhos de consumo ou até mesmo para a aposentadoria. O problema é que muitas pessoas sequer sabem por onde começar, ou melhor, o que devem fazer para investir.

Um passo por vez

Para ter sucesso nos investimentos é preciso ter informação. A partir daí se estabelece um aprendizado e é possível tomar decisões sobre finanças. O primeiro passo é pesquisar, acompanhar notícias, ler blogs, realizar cursos, participar de fóruns, etc., que ajudarão a se familiarizar com o mercado de ações e seus termos técnicos. Depois disso, é preciso traçar um plano de investimentos, quando se deve decidir o objetivo do investimento e quanto deve ser destinado a ele.

E vem o segundo passo: poupar. É comum, principalmente entre os mais jovens, ter vontade de satisfazer diversos desejos de consumo, ainda mais quando se conquista os primeiros “bons” salários. Mas as vezes é preciso se controlar diante das tentações e fazer opções mais inteligentes.

Planejamento

O terceiro passo é planejar. Fazer um orçamento mensal detalhado, colocando gastos e despesas. É também importante entender o seu perfil de investidor (veja no link abaixo as dicas para identificar se você é agressivo, moderado ou conservador) em relação a riscos. Perfis mais agressivos apresentam uma carteira de investimento com maior risco, enquanto os mais conservadores preferem aplicar em renda fixa.

Quando você atinge a autonomia e passa a ter mais segurança em suas escolhas (já se informou, poupou e planejou) está na hora de investir. Destine um percentual da sua renda mensal para seus investimentos e procure manter esse valor igual ou superior nos próximos meses. O resultado virá no curto ou no longo prazo, dependendo do perfil do investidor e também da estratégia que será utilizada.

Autonomia

Para quem conquistou conhecimento, conseguiu controlar o orçamento, fez um planejamento e começou a investir na bolsa, porque analisou que tinha o perfil para isso, uma das ferramentas indicadas é o homebroker.

Para investir por este canal é preciso escolher uma corretora de valores. É ela quem disponibiliza a plataforma onde as ações são negociadas. Requisitos como atendimento, custo benefício, conteúdo, ferramentas e desempenho devem ser analisados na hora da escolha.

Leia mais: QUAL SEU PERFIL DE INVESTIDOR? DESCUBRA AGORA!

 

Em Educação Financeira

Recomendadas para você