fbpx

Bettina: Reflexões sobre os Erros e Enganos Desta Estratégia

Propaganda procurar atrair desatentos com o canto da sereia. Mas é bom lembrar: Educação Financeira é assunto sério e cuidar do seu patrimônio exige mais cuidados e menos ganância.

Redação DuMoney 21 de março de 2019 atualizado às 17:06

Bettina é um problema num país que precisa de mais Educação financeira e menos propaganda. (fotorreprodução de mídias sociais)

 

Bettina será nos próximos meses sinônimo de canto da sereia, de propaganda enganosa, de conversa fiada, de mentira ou piada. A empresa que paga o salário de Bettina deve continuar no mercado, atraiu atenção, talvez até lucre com o famoso “falem mal, mas falem de mim”. Para sorte de todos, na era digital, a memória é curta demais e tudo vai ser deletado em breve.

Mas o que aprender com o fenônomeno Bettina? Primeira lição: ela é um fenômeno. Em menos de uma semana, tornou-se celebridade, se houvesse playboy, seria convidada para um ensaio; foi entrevistada na Rádio Jovem Pan e no The Noite, daquele humorista que provoca graça por não exibir princípios. Nos dois casos, os entrevistadores foram, no mínimo, cúmplices da estratégia, pegando leve com a sereia.

Ética

O Procon já notificou os empregadores da Bettina. A Comissão de Valores Imobiliários já questiona os métodos dos patrões de Bettina. É a segunda lição: um puxão de orelhas numa empresa que faz qualquer coisa para atrair pessoas interessadas em Educação Financeira. O país experimenta uma fase de democratização no acesso aos investimentos. Até bem pouco tempo, os pequenos poupadores só podiam investir na Poupança, nos CDBs e outras tranqueiras.

Uma onda de fintechs passou a oferecer assessoria financeira que possibilita novas experiências aos brasileiros da classe econômica intermediária. Foi o ponto de partida para aproveitadores: pessoas e empresas que prometem lucros milionários em prazo curto.

Bettina disse nas entrevistas que não prometeu nada demais. E garante que vai provar num curso gratuito que já está com inscrições abertas. Não seria de surpreender, se o curso for super povoado. Mas ela só prova que não aprendeu com seu erro.

Uma reflexão: até agora, nada demais numa sociedade de consumo aonde a publicidade é estrelada pelos comediantes. Vide o caso dos cursos de inglês e as massivas campanhas com a Tatá e o Portugal. O que estes personagens vendem? O sarcasmo. É mais desacreditar os concorrentes do que angariar crédito para seu método de ensino de línguas.

Podemos fazer muitas reflexões e esperamos estimular mais questionamentos. No caso específico da Educação Financeira, leve em conta que não há investimento milionário para quem não conhece o mercado, para quem não der um passo por vez.

A Bettina deseduca e não aprende. Insiste no erro. Caso você, como outros muitos brasileiros, já tenha aprendido que a Poupança é um método rápido de perder dinheiro e se interesse por novos investimentos, aposte no certo. Procure cursos, leia mais, informe-se. Busque conhecimento em fontes confiáveis. Propaganda não é feita para ensinar, mas podemos aprender com estes erros.

Leia mais: Educação Financeira — Por onde começar?

 

 

Em Educação Financeira

Recomendadas para você