fbpx

100 mil pontos na Bolsa. O que o mercado está sinalizando?

Mercado demonstra otimismo à espera da Reforma da Previdência e, segundo analistas, já está precificando o sucesso da negociação do governo Bolsonaro.

Redação DuMoney 19 de março de 2019 atualizado às 02:40

Otimismo do mercado eleva índice Bovespa a 100 mil pontos. (Foto Facebook da B3)

 

Em um dia de otimismo no mercado financeiro, a bolsa de valores bateu recorde e chegou aos 100 mil pontos. No fechamento, o indicador Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), ficou em 99.994 pontos, com alta de 0,86%. Por volta de 3h da tarde, o indicador chegou a superar os 100 mil pontos, cedendo nos momentos finais de negociação.

Analistas afirmam que, no curto prazo, o principal fator que poderá azedar o desempenho da bolsa de valores de São Paulo (B3) é o risco de o governo Jair Bolsonaro não conseguir avançar no projeto de reforma da Previdência.

Marca Psicológica

“A Bolsa bateu uma marca psicológica. O Ibovespa pode subir mais que isso”, avalia David Cohen, da Paineira Investimentos em entrevista ao site Infomoney.

— A marca é simbólica. E o que o cidadão ganha com isso? A bolsa acima dos 100 mil pontos mostra que há expectativa de que a economia ganhará mais tração. As empresas brasileiras estão valendo mais na bolsa. Ou seja, espera-se que tenham melhores resultados daqui para frente — afirmou ao Zero Hora o economista Silvio Campos Neto, sócio da consultoria Tendências.

Um relatório da XP Research apontava já no início do ano que o índice poderia bater recordes históricos em 2019: “Vemos a Bolsa como a melhor classe de ativos do Brasil, com potencial de o Ibovespa atingir 125 mil pontos até o final do ano”.

“O crescimento expressivo do lucro das empresas justifica parte deste resultado. Daqui em diante, o que vai haver é uma revisão do crescimento dos lucros por um período lonfo, de anos”, disse à Folha de S. Paulo, Karel Luketic, analista-chefe da XP investimentos.

O presidente do Itaú-Unibanco, maior banco do país, estimou que uma margem de 70 a 75% da expectativa de reforma da Previdência já está embutida nesta valorização. Para Cândido Bracher, “a aprovação da reforma oferece espaço para bastante crescimento, mas será menor do que a queda, caso o mercado não se convença do sucesso das negociações.”

Leia mais: Como Investir na Bolsa com Pouco Dinheiro

 

Em Educação Financeira

Recomendadas para você