fbpx

As críticas de Nassim Taleb à padronização do mercado

Redação DuMoney 27 de fevereiro de 2018 atualizado às 18:18

Em A Cama de Procusto: Aforismos Filosóficos e Práticos, Nassim Taleb reuniu várias observações e provocações ao leitor que fazem alusão à padronização imposta pela vida moderna. Veja alguns dos pensamentos do autor

linha de produção padronizada

Nassim Taleb questiona padronização do mercado e da vida em geral em seu livro de aforismas / Shutterstock

 

Os pensamentos de Taleb expressos neste livro fazem referência a todos que vivem em um ambiente onde abre-se mão de erudição, elegância, diversão e outros valores em nome de uma suposta “eficiência”. Ele ataca a vida no escritório, dietas, academias (de ginástica e universidades), economistas e outras “pragas” da modernidade.

Autor, ensaísta, estatístico, analista de riscos e matemático de formação, Nassim Nicholas Taleb, 58 anos, ficou conhecido por ser um megainvestidor do mercado financeiro. É também professor do Instituto Politécnico da Universidade de Nova York e presidente da empresa de investimentos Empirica.

De origem libanesa e naturalizado americano, Taleb é autor de uma coletânea chamada Incertoa série de livros trata sempre sobre a incerteza. Até agora conta com cinco volumes: Arriscando a Própria Pele, Antifrágil, A lógica do Cisne Negro, Iludidos pelo Acaso, A Cama de Procusto).

Toda a coletânea trata sobre a incerteza, o acaso e o imprevisível, porém cada livro aborda um ângulo diferente da questão.

MITO ILUSTRATIVO

O título do livro vem da mitologia grega. Diz a lenda que Procusto era dono de uma casa na rota entre Atenas e Elêusis e convidava os viajantes para passarem a noite em sua casa. Ele tinha duas camas; se o viajante fosse alto, era colocado na cama pequena e Procusto cortava suas pernas para melhor acomodá-lo; caso fosse baixo, ia para a cama grande e era esticado até preencher o espaço. Um dia, Teseu (o do minotauro) passou por lá e fez com que Procusto coubesse em uma de suas camas cortando-lhe a cabeça.

Este mito serve para definir uma situação em que somos forçados a nos adaptar a um padrão arbitrário. Para Taleb, o mundo em que vivemos é dominado por diversas camas de Procusto – criadas pela tecnologia, mídia, establishment acadêmico, mundo corporativo, etc – onde, conscientes ou não, nos deitamos e sofremos com as consequências. A Cama de Procusto (2010) é um livro de aforismos, pequenas frases de natureza filosófica ou prática sobre as quais o leitor é convidado a refletir.

Uma curiosidade não comprovada é que o livro foi praticamente todo escrito no Twitter, cuja limitação de 140 caracteres induz a criação de frases de efeito. Infelizmente esse dado é impossível de ser comprovado pois a suposta conta foi apagada tempos depois da publicação da obra. Mas Taleb segue bastante ativo – com outra conta – na rede social, espaço que usa para perpetuar sua fama de controverso.

Algumas provocações de A Cama de Procusto:

Procrastinação é a alma se rebelando contra o aprisionamento.

Elogiar alguém por sua falta de defeitos também implica na sua falta de virtudes.

Muitos alimentam suas obsessões tentando se livrar delas.

Rumores só têm valor quando negados.

As pessoas normalmente se desculpam para poder repetir o erro.

Os três vícios mais danosos são heroína, carboidratos e um salário mensal.

Leia mais: NASSIM TALEB: COMO PODEMOS NOS BENEFICIAR COM O CAOS

 

Em Economia Comportamental

Recomendadas para você