fbpx

A Entrevista Perdida do Nobel de Economia – Parte 2

“Dinheiro divertido é outra coisa que não faz sentido para os economistas tradicionais. Porque só tem dinheiro; não há dinheiro 'divertido'. Tudo deve ser o mesmo."

Redação DuMoney 8 de maio de 2019 atualizado às 09:50

Prêmio Nobel de Economia diz que sua maior descoberta foi Kahnemann. (fotorreprodução Youtube)

 

Na semana passada, duMoney publicou o primeiro trecho da entrevista esquecida de Richard Thaler, um dia depois que ele recebeu a notícia de que vencera o Prêmio Nobel de Economia de 2017, por “contribuições à economia comportamental” – um campo que ele ajudou a criar. Esta é a segunda parte da conversa.

A fundação Nobel deu o prêmio reconhecendo que seu trabalho une análises de tomadas de decisão econômica à pressupostos da psicologia, ao explorar como as consequências da limitação da racionalidade, de preferências sociais e da falta de autocontrole afetam as decisões individuais, assim como o mercado financeiro.

Ao lado de Cass Sunstein, Richard Thaler é um dos criadores do conceito de “nudges“.

Thaler, professor da Universidade de Chicago, escrevia a coluna Economic View do The New York Times, e no mesmo dia em que foi laureado deu uma breve entrevista, por telefone, ao seu editor.

A entrevista ainda não havia sido traduzida para o Português, mas a redação de DuMoney verteu (o que não é uma tradução ao pé da letra) as declarações do pensador.

No que você está se concentrando atualmente?

Estou olhando novamente para os incentivos nos planos de pensão. Estranhamente, nas pensões suecas: Você sabe, eu irei para a Suécia para o prêmio. Ao contrário de Bob Dylan. O que significa que eu tenho que escrever um discurso. Vai demorar muito tempo. Isso poderia atrasar a coluna.

O dinheiro do Nobel: você começou a gastar?

Eu fiz uma espécie de piada sobre isso. Eu disse que vou gastá-lo “da forma mais irracional possível”. O Prêmio Nobel será “diversão” – para uma ocasião em que minha esposa e eu queremos uma garrafa de vinho de US $ 50.

“Dinheiro divertido” é outra coisa que não faz sentido para os economistas tradicionais. Porque só tem dinheiro; não há dinheiro “divertido”. Tudo deve ser o mesmo.

O que me leva a “contabilidade mental”.

Isso é provavelmente o que eu sou mais conhecido.

…Dinheiro é dinheiro. É tudo a mesma coisa. Então colocá-lo em caixas mentais não é totalmente idiota?

É inteligente. Isso ajuda. Isso ajuda a colocar dinheiro em uma “cesta de aposentadoria”, por exemplo. O dinheiro do 401 (k) é muito mais “pegajoso” do que o dinheiro em outro lugar: ele tende a ficar lá. Ajuda as pessoas a poupar para a aposentadoria.

O que acontece é que, no dia a dia, não queremos lidar com muitos problemas de matemática. As pessoas apenas impõem regras gerais, como esta: eu não pago mais do que $ 30 por uma garrafa de vinho, a menos que seja uma ocasião especial. Então, eu uso “dinheiro divertido”. E agora, eu tenho uma conta mental para isso: o dinheiro do Nobel.

…Isso é meio bobo.

Claro que sim. Mas essas coisas tolas são o trabalho da minha vida.

Em Economia Comportamental

Recomendadas para você